REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA https://redibec.org/ojs/index.php/revibec <p style="text-align: justify;">A Revista Ibero-Americana de Economia Ecológica, REVIBEC, é a revista oficial da REDIBEC, e pretende tornar-se uma referência acadêmica, pelo alto nível científico de seus conteúdos e pelo interesse dos temas tratados, o que contribui para a consolidação da Economia ecológica como abordagem científica na região.</p> <p style="text-align: justify;">A Revista Ibero-Americana de Economia Ecológica, REVIBEC, é uma publicação da Rede Ibero-Americana, REDIBEC criada para publicar e disseminar obras originais de interesse para a região em termos de desenvolvimento e meio ambiente.</p> <p style="text-align: justify;">Paradoxalmente, o advento das novas tecnologias da informação não levou ao declínio esperado na desigualdade de acesso à informação científica. Pelo contrário, essas desigualdades foram exacerbadas, em parte graças ao papel das editoras, que privatizam as informações cuja geração não financiaram. Em resposta, o Ibero-American Journal of Ecological Economics junta-se a outras iniciativas que buscam democratizar o acesso ao conhecimento acadêmico de alto nível através de novas ferramentas informáticas.</p> <p style="text-align: justify;">Revista Indexada em Latindex, Economistas Online, revistas eletrônicas, DOAJ, RePEc, Dialnet, RACO, DDD e logo em IN-RECS.</p> <p style="text-align: justify;">ISSN: 2385-4650</p> pt-BR peterhmay@gmail.com (Peter May) peterhmay@gmail.com (Peter May) Seg, 10 Ago 2020 00:00:00 -0300 OJS 3.2.1.2 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 O desenvolvimento do PNAE nas escolas públicas do município de Santa Maria/RS: uma trajetória inacabada? https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/388 <p>A alimentação saudável dos escolares vincula-se à produção agrícola sustentável e às políticas públicas capazes de garantir o acesso a esses alimentos. Essa pesquisa tem por objetivo explicitar a situação atual do desenvolvimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) nas escolas públicas do município de Santa Maria/RS. Os pressupostos analíticos abrangem os elementos teóricos da agricultura sociológica e a abordagem da segurança alimentar e nutricional (SAN) e alguns elementos da sustentabilidade do setor agroalimentar, por meio de entrevistas semiestruturadas e da aplicação de questionários estruturados aos responsáveis pelas compras institucionais. Conclui-se que as alterações operadas na legislação do PNAE vêm permitindo o avanço na construção de arranjos institucionais por uma participação mais efetiva dos atores sociais envolvidos na operacionalização do programa. Houve melhoria na qualidade dos componentes da alimentação escolar, porém ainda ocorrem limitações quantitativas e de regulação. Ao menos uma parcela de cada produto utilizado na alimentação escolar provém da agricultura familiar, o que denota que no caso do município de Santa Maria/RS observa-se menor vulnerabilidade no processo das compras institucionais, porém, maior necessidade de ampliar o potencial produtivo da agricultura familiar para suprir quantitativamente a oferta de alimentos saudáveis às escolas. Nesse esforço, as compras institucionais do PNAE poderão atender melhor os pressupostos do programa, isto é, melhorar a alimentação escolar e contribuir para a almejada sustentabilidade agroalimentar e o desenvolvimento rural.</p> Rita Inês Paetzhold Pauli, Jéferson Réus da Silva Schulz, Bruna Tadielo Zajonz Copyright (c) 2020 REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/388 Seg, 10 Ago 2020 00:00:00 -0300 Reflexões sobre a mediação social da natureza https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/269 <p>A articulação sociedade-natureza é proposta aqui para entendê-la como mediação dialética. A mediação social é a forma de articulação entre os mundos físico-biológicos e o mundo humano (que dialeticamente inclui o primeiro), e é mediação uma vez que cada um deles, embora constituam a unidade diversa natureza-cultura / história, são configurado com base em premissas específicas e características exclusivas.</p> Guido Galafassi Copyright (c) 2020 REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/269 Seg, 10 Ago 2020 00:00:00 -0300 Extrativismo, colonialidade e violência no Peru https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/vol33-1-3 <p>As políticas neoliberais dos anos 90 do ex-presidente Fujimori multiplicam concessões de todos os tipos e provocam inúmeros conflitos socioambientais violentos que resultaram em muitas mortes e milhares de atingidas. Partimos da hipótese de que mudanças no metabolismo social e aumento da extração doméstica de materiais causam esses conflitos. Usamos informações do EJAtlas para ilustrar esses conflitos. À luz da teoria da “colonialidade do poder e do conhecimento” (Quijano 1992, Lander 2000, Grosfoguel, 2014) analisaremos as divisões de poder e trabalho herdadas da colônia e reafirmadas pelo poder crioulo que reforçam o racismo inerente à colonialidade. Veremos como esse racismo se construiu, como se perpetuou, como se construiu a colonialidade do saber, ou seja, o domínio das mentes para poder impor o racismo. Analisamos quais tipos de violência são utilizados contra a população que resiste à implantação de projetos extrativistas, quais alternativas os movimentos por justiça ambiental podem construir, reforçar a identidade e encontrar saídas para a colonialidade. Finalmente, veremos qual papel as mulheres desempenham nesta constelação de conflito.</p> Raquel Viviana Neyra Soupplet Copyright (c) 2020 REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/vol33-1-3 Sex, 23 Out 2020 00:00:00 -0300 JOAN MARTÍNEZ ALIER - Professor, referência acadêmica e ativista da economia ecológica e da ecologia política https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/443 <p>Joan Martínez-Alier é ativista, fundadora e promotora das ideias da Economia Ecológica em permanente articulação com a Ecologia Política. Ele também é o criador do conceito de Ambientalismo dos Pobres que destaca o papel das comunidades incluindo camponeses, pescadores, grupos étnicos, marginalizados das grandes cidades, mulheres e outras populações, na conservação ambiental. Ele também contribuiu para a criação da International Society for Ecological Economics (ISEE) e do Ecological Economics Journal. É também o criador e diretor da revista Ecología Política e um dos diretores do Atlas Global de Justiça Ambiental (www.ejatlas.org), que torna visível a resistência das populações e comunidades ao extrativismo e em geral ao desenvolvimento que gera grandes impactos ambientais e injustiças. Em reconhecimento a uma vida acadêmica, suas múltiplas publicações com as quais aprendemos, uma vida de luta, uma vida de compromisso com a natureza e as comunidades empobrecidas pelo desenvolvimento, prestamos a ele esta pequena homenagem expressa nesta biografia. as muitas outras homenagens e reconhecimentos que foram feitos a ele em sua vida.</p> Mario Alejandro Perez Rincon, Yimel Irasu García Padilla Copyright (c) 2020 REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/443 Sáb, 19 Dez 2020 00:00:00 -0300 O metabolismo econômico do minério de ferro no Brasil e na China https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/370 <p>O objetivo desse artigo é considerar a abordagem dos setores verticalmente integrados no cálculo das pegadas ambientais. Para isso, apresenta-se o conceito de preço ecológico aplicado à análise de fluxo de materiais (MFA, <em>Material Flow Analysis</em>), fundamentado na ideia de subsistema sraffiano, para analisar o metabolismo econômico de duas economias, Brasil e China, no caso do minério de ferro. Após a análise do conceito tradicional de MFA e do equivalente de matérias, é apresentada a aplicação da integração vertical à economia ecológica, assim como a estratégia de análise para aplicação desse conceito usando a Eora26, uma matriz multirregional de insumo-produto. Os resultados obtidos, além de mostrar aspectos que a análise tradicional por setores não fornece, exemplificam como a ferramenta pode ser útil para a formulação das políticas públicas e para a mensuração de seus impactos. Limitações são apontadas e sugestões para extensão da pesquisa são feitas.</p> Leopoldo Costa Junior Copyright (c) 2020 REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/370 Sáb, 19 Dez 2020 00:00:00 -0300