Obstáculos à implementação de um sistema de garantia participativa na Andaluzia

Autores

  • Nádia Velleda Caldas Departamento de Ciencias Sociales Agrarias, Universidad Federal de Pelotas, Brasil
  • Flávio Sacco dos Anjos Departamento de Ciencias Sociales Agrarias, Universidad Federal de Pelotas, Brasil
  • Camen Lozano Cabedo Departamento de Sociología II (Estructura Social), Universidad Nacional de Educación a Distancia, España

Resumo

Atualmente, existem dois grandes sistemas de certificação para produtos orgânicos. Por um lado, existe a forma convencional de certificação, que é baseada no desempenho da certificação de empresas (públicas ou privadas), ou o que é chamado de certificação de terceiros. De outro, o sistema de garantia participativa (SPG), no qual os agricultores estabelecem regras e mecanismos de certificação, baseados em critérios de conformidade, baseados nos princípios de participação e articulação de organizações de produtores. , operadores e consumidores envolvidos nesses processos. Em alguns países coexistem os dois sistemas de certificação, mas na Andaluzia a segunda forma foi tentada a ser implementada tomando como exemplo a trajetória vivenciada pela Rede Ecovida nos estados do sul do Brasil, bem como em outros países do mundo. O objetivo do trabalho é analisar os principais obstáculos e as circunstâncias que impediram a criação de um SPG na Andaluzia. A fragilidade do capital social e a falta de articulação entre os territórios foram decisivos para que essa iniciativa não se tornasse realidade.

Publicado

2018-08-31