Instrumentos econômicos para gestão ambiental: decisões monocriteriais versus decisões multicriteriais

Autores

  • Fander Falconí Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales Sede Ecuador
  • Rafael Burbano Coordenador do Curso de Engenharia em Ciências Econômicas e Financeiras da Escola Politécnica Nacional

Resumo

A análise de questões complexas como a sustentabilidade, de caráter multidimensional, requer instrumentos analíticos que capturem as diferentes dimensões do problema, incluindo as visões de mundo e os interesses dos atores envolvidos, nem sempre coincidentes. Este trabalho mostra que a maioria dos instrumentos econômicos, utilizados para a gestão ambiental, não refletem essa complexidade, são monocriteriais e, portanto, não são instrumentos adequados para a tomada de decisão; embora muitos desses instrumentos possam apoiar a conservação e o uso sustentável dos recursos. Como opção, destaca-se o uso da análise multicritério, como ferramenta adequada para decidir sobre problemas que incluem conflitos sociais, econômicos e objetivos de conservação ambiental, com uma pluralidade de escalas de mensuração (física, monetária, qualitativa, etc.). Nesse caso, o processo de tomada de decisão conta mais do que o resultado em si e não uma "solução ótima", mas sim uma "solução de compromisso" entre os diferentes atores envolvidos. Por fim, é apresentada a operação da análise multicriterial, aplicando-a na análise do manejo florestal equatoriano em diferentes períodos.

Publicado

2019-08-01

Como Citar

Falconí, F., & Burbano, R. (2019). Instrumentos econômicos para gestão ambiental: decisões monocriteriais versus decisões multicriteriais. REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA, 1(1), 11–20. Recuperado de https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/341