Produção agro-exportadora e (in)segurança alimentar: o caso da soja na Argentina

Autores

  • Walter Pengue Engenheiro agrônomo

Resumo

Durante a década de 1990, a produção agrícola argentina apresentou importantes transformações, que, baseadas em um modelo tecnológico intensivo, contribuíram para o perfil de um país, que acreditava encontrar importantes vantagens comerciais na crescente especialização produtiva. O paradigma da eficiência e a incorporação tecnológica de cultivares de soja GM adaptadas a muitas ecorregiões argentinas facilitaram o deslocamento de vários sistemas, não apenas nas mas também nas áreas extra-pampeanas, ricas em biodiversidade. Por outro lado, a disponibilidade e a riqueza de alimentos para a população argentina (ricos e pobres) diminuíram drasticamente, pondo em risco a soberania alimentar do país, o que, como muitas outras nações sul-americanas, facilitou a transnacionalização de sua agricultura e perdeu o rumo. É importante definir políticas ambientais agrícolas e a implementação de instrumentos regulatórios, como as retenções ambientais. Na luta por recursos, solo, água potável e biodiversidade, a Argentina, a América do Sul e o mundo estão envolvidos hoje em um novo debate, a Batalha pela Proteína da mais alta qualidade entre o Sul e o Norte.

Publicado

2019-08-01

Como Citar

Pengue, W. (2019). Produção agro-exportadora e (in)segurança alimentar: o caso da soja na Argentina. REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA, 1(1), 46–55. Recuperado de https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/344