Usos consuntivos da água em Minas Gerais: uma aplicação de matrizes híbridas de insumo-produto (2005-2016)

Autores

Palavras-chave:

água virtual, análise insumo-produto, Minas Gerais, recursos hídricos, setor-chave

Resumo

O trabalho teve como objetivo avaliar a evolução dos usos consuntivos da água na economia do estado de Minas Gerais entre 2005 e 2016. Foi utilizado um modelo insumo-produto aberto de Leontief com unidades híbridas e incorporação de um setor hídrico, com base nas matrizes de insumo-produto estaduais de 2005, 2008, 2013 e 2016 e nos dados de retirada de água disponibilizados pela Agência Nacional de Águas. Os resultados mostram que houve redução dos requerimentos hídricos totais por setor e de forma agregada. Os destaques em termos de intensidade de retiradas, elos intersetoriais e/ou água virtual embutida nas exportações foram “agricultura, silvicultura e exploração florestal”, “indústria extrativa mineral”, “fabricação de alimentos”, “eletricidade, gás, água e limpeza urbana” e “metalurgia”. A agricultura, além de líder em retiradas de água em termos absolutos, apresentou os maiores impactos enquanto ofertante e demandante de produtos, os quais se tornaram maiores ao longo do período. O aumento da participação de grandes lavouras irrigadas, mais especificamente o plantio da cana-de-açúcar, foi levantado como hipótese que explicaria esses resultados e direcionaria políticas para a redução da pressão sobre os recursos hídricos estaduais.

Biografia do Autor

Marco Paulo Vianna Franco, Fundação João Pinheiro – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Professor e pesquisador em ciências aplicadas e políticas públicas da Escola de Governo da Fundação João Pinheiro. Doutorado em Economia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Universidade Federal de Minas Gerais (Cedeplar/UFMG).
https://orcid.org/0000-0002-0054-8717

Carla Cristina Aguilar de Souza, Fundação João Pinheiro – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Professora da Escola de Governo e pesquisadora do Centro de Estatística e Informação da Fundação João Pinheiro. Doutorado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
https://orcid.org/0000-0002-1081-9664

Thiago Rafael Corrêa de Almeida, Fundação João Pinheiro – Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Diretoria de Estatística e Informações) da Fundação João Pinheiro. Mestrado em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro.
https://orcid.org/0000-0002-0626-7385

Downloads

Publicado

2021-02-01