Os Efeitos de encadeamentos na bioeconomia e na economia de baixo carbono do Brasil

Autores

  • Andrey Luis Robinson Universidade Federal de Santa Maria
  • Valny Giacomelli Sobrinho Professor associado do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Maria

Palavras-chave:

bioeconomia, encadeamentos, Hirschman, energia, matriz insumo-produto ampliada

Resumo

O objetivo desse trabalho é demonstrar como a hipótese dos encadeamentos (linkages) em um modelo ampliado de insumo-produto pode ser utilizada como critério para avaliar as diretrizes bioeconômicas. Com essa finalidade, utilizam-se dados para o Brasil em 2018. Assim, quando indistintamente se consideram todos os recursos energéticos, o setor de Transportes é o mais dependente, e os Derivados de Petróleo são os insumos mais demandados pela economia. Os resultados mudam quando a ênfase recai sobre as bioenergias. Nesse caso, o setor de Papel e Celulose é o mais dependente, e a Lixívia torna-se o insumo mais consumido. Conclui-se que tais alterações afetam tanto o direcionamento dos investimentos quanto a estratégia de desenvolvimento a ser utilizada. Por exemplo, a redução do uso de combustíveis fósseis prejudicaria investimentos no setor de Transportes, ao passo que a adoção da estratégia bioeconômica de desenvolvimento favoreceria o setor de Papel e Celulose.

Downloads

Publicado

2022-11-18

Como Citar

Robinson, A. L., & Giacomelli Sobrinho, V. (2022). Os Efeitos de encadeamentos na bioeconomia e na economia de baixo carbono do Brasil. REVIBEC - REVISTA IBEROAMERICANA DE ECONOMÍA ECOLÓGICA, 35(2), 76–94. Recuperado de https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/vol35-2-5