DÉFICIT ECOLÓGICO DA CAPA FLORESTAL DO MÉXICO

  • María Estela Orozco Hernández Universidad Autónoma del Estado de México
  • Ma. Eugenia Valdez Pérez Universidad Autónoma del Estado de México
  • Gustavo Alvarez Arteaga Universidad Autónoma del Estado de México
Palavras-chave: recursos florestais, pegada ecológica, biocapacidade, déficit ecológico

Resumo

O estudo prevê défice médio de produtividade da terra para manter a produção e consumo de floresta no estado do México. A capacidade de equilíbrio da terra e impacto da exploração madeireira, expõe o déficit ecológico que sintetiza os efeitos cumulativos, a incapacidade da terra para manter a produção de madeira e fornecimento de madeira ao longo do tempo, adverte intensificação da extração seletiva e declínio na produtividade natural. A perspectiva de escassez requer mudanças nas formas de gerir bens e serviços florestais, através de políticas que promovam o meio ambiente através do desenvolvimento rural alternativa sociais, as sinergias económicas e médio, utilizar o ciclo de pedidos de vendas de consumo de produtos florestais, garantia a estabilidade da floresta coberta por impostos verdes e fundo de danos ambientais para financiar projetos de mitigação e recuperação, estabelecer um acompanhamento regular do limites de produtividade, capacidade e utilização. Através documentário, informação cartográfica estatística e cobertura de status de verificação e recursos de log e cenários déficit ecológico foram determinados pelo método da pegada.

Palavras-chave: Recursos florestais, Pegada Ecológica, biocapacidade, déficit ecológico.

Publicado
2019-08-20